Reflexões sobre o Facebook (parte 1)

Padrão

Há dias venho pensando em fazer uma limpa no Facebook. Desfazer algumas “amizades”, descurtir paginas, enfim só deixar aqui coisas e pessoas que acrescentem. Não é chatice minha não, sabe? É que não estou mais querendo perder tempo. Não quero gastar meus minutos com coisas que não edificam ou tentam incutir bobagens na cabeça da gente.

 

— Páginas que falavam de fitness, dieta e ginástica: Ter saúde é importante, mas tem gente que faz disso uma paranoia. Não pode comer isso, comer aquilo, tem que ter percentual de gordura x pra estar gostosa e só assim você será bonita e interessante. Bull shit. Idiotice. Quero ficar em forma, mas sem abrir mão de tomar minha caneca gigante de cappuccino. E ser interessante com o percentual de gordura de 23%. Sério. Essa loucura pelo corpo “perfeito” está virando doença. Obsessão. Cuidam com excessivo zelo do exterior e pouco do espírito. Somos um espírito que tem um corpo e não o contrário. O corpo é nossa máquina, um presente que Deus nos deu para nossa aprendizagem enquanto caminhamos pela terra e devemos cuidar bem dele, claro, mas sem loucura. Quando desencarnarmos ele ficará aqui e o que volta ao plano espiritual está como? Vamos refletir sobre isso!

 –Paginas ou perfis que tratem de moda/aparência: Tem alguns que faço questão de manter, pois o vinculo criado é de real amizade. Mas alguns não merecem mais minha atenção. Gente, roupa é só uma capa que cobre nosso corpo pra que não fiquemos nus. Claro que gostamos de vestir peças bonitas e que nos valorizem, mas quem é que pode dizer o que te veste bem ou não? Você mesmo, oras. Entretanto alguns insistem em querer ditar o que é certo e errado. O que as baixinhas podem ou não usar… Caraca! Não tenho problema algum com minha pequena estatura. Sou feliz com meus 1,60. Sério!! Me acho uma gostosa, linda e interessante vestindo meu pijama velho e rasgado enquanto faço faxina no sábado ou com minha botinha que corta minha perna e segundo dizem “encurta minha silhueta”. Vão cuidar da aparência de vocês mesmos e parem de querer “cagar regra” sobre o armário dos outros. Não há nada mais gostoso em se sentir bem e bonita do jeito que se é usando uma coisa que te deixe confortável.

 — Gente que idolatra marcas de roupa e afins: Quem me conhece há pouco tempo não deve saber, mas eu também já fui uma pessoa assim que adorava se vestir dos pés a cabeça com uma marca de roupa por ai, mas graças ao bom Deus isso passou. Por ter sentido na pele o que isso faz conosco foi que decidi mudar de vida. Você pode estar linda vestindo tanto uma calça de 380,00 quanto uma da feira que custa 40,00. Ontem vim trabalhar com uma legging que a mãe de uma aluna comprou na feira pra mim e que custou 40,00 e nunca me senti tão bem, bonita e confortável. Gente confortável na própria pele é gente bonita e feliz!! Claro que uma hora ou outra vou comprar uma coisa que custe mais caro, lógico, mas não será pelos mesmos motivos de antes.

Enfim, vou começar por esses e no fim de semana continuar a limpeza. Meu tempo é tão curtinho e apertado (até nisso vou dar um jeito) que perder tempo tentando administrar as sensações ruins que este tipo de relacionamento virtual me causa é também perda de vida.

E vida, meus queridos, é coisa caríssima!!

 

Anúncios

Compartilhe seu pensamento comigo.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s