PROGRESSOS

Padrão

Quando criei este blog a primeira intenção era registrar minha mudança. Queria passar de consumista a pessoa centralizada e com foco. Dai, no meio do caminho muita coisa foi acontecendo e a vontade de escrever sobre foi tomando conta de mim. De certa forma o blog serviu – e ainda serve – como um local onde posso desabafar e falar das minhas impressões sobre diversos assuntos.

Mas de uns tempos pra cá tenho mudado muito. Não tenho dado conta de coisas em excesso ao ponto de me dar coceira, crises de rinite ao simples pensamento de relacionado a esse tema. E pra piorar (ou melhorar) minha situação tenho visto através de programas de TV o que o acúmulo faz com a vida das pessoas. Elas perdem a noção de si mesmas dominadas pelo desejo desenfreado de possuir e não conseguir se desfazer de nada.

Na ansia de entender esse momento desapegado, menos materialista e simples, andei pesquisando na internet sobre o assunto e percebi que há todo um movimento contrário ao rumo que o mundo está indo: muita gente, mas muita mesmo, anda buscando resgatar a simplicidade, possuir somente o necessário, não acumular nada desde objetos, sentimentos, pessoas, dinheiro… E fiquei muito feliz em saber que não era a única a se incomodar tanto com os excessos. E a certeza de que estou realmente mudando me veio ontem. Estava remexendo minha sapateira e vi que tenho sapatos pra vida toda. Ate eu morrer, lá bem velhinha se Deus quiser, não precisarei comprar nenhum sapato se me dispuser a andar de salto quando as sapatilhas darem o ultimo suspiro.

Pra confirmar que estava curada fui dar uma olhada no site da Arezzo que é minha marca de sapatos favorita. Nada nada nada me apeteceu. Nada! Achei tudo mais do mesmo, vi que “reeditaram” vários modelos (na verdade não devem ter sido vendidos antes e voltaram pra loja nessa coleção) e pensei: salto por salto tenho um monte. Não gosto de coloridos, os meus são mais bonitos por que são beginhos do jeito que gosto e fim. Na hora que fui ver as bolsas, o mesmo sentimento. Já tenho o suficiente. Viva!! Passei no teste.

Uma parte bem crítica nessa minha caminhada será o de deixar meu armário mais modesto. Acontece que não estou conseguindo doar o tanto que poderia. Na hora de tirar as coisas de lá eu sempre penso que um dia vou precisar delas. Eu sei que todo acumulador pensa assim e passa ano entra ano a gente acaba não usando nada. Nesse quesito vou precisar de mais ajuda e coragem. E já sei onde buscar! Vou conseguir. Vou dando pequenos passos, mas tirando o que não preciso ou quero ter até conseguir deixá-lo mais simples e usável com as peças que realmente vão me vestir de forma adequada pra minha idade e momento de vida.

Sobre as mudanças no apartamento já colhi frutos ontem. O tempo que gastava arrumando caiu em duas horas e isso é muito significativo pra mim, pois consegui até tirar um cochilo à tarde. Foi muito bom!!

Estou nesse de querer ter tempo de não fazer nada, de ficar a toa jogando no celular ou vendo TV agarradinha com meu marido, filho e minhas cachorras… E só diminuindo a quantidade de trabalho, não deixando nada pra fazer depois é que torna isso possível. Vou me organizar com a arrumação da casa durante a semana pra ficar o mínimo de coisas pra fazer no sábado. Conto isso no próximo post.

Bom restinho de domingo pra todos. Eu estou indo pra cozinha preparar o almoço dos meus amores!! E feliz demais comigo mesma! Beijos!

 Mudanças acontecem ou são planejadas. Ou planejar e deixar acontecer. A espera vem acompanhada de angústia. Aquela sensação de inseguraça, do perdido, do desconhecido. Como andar sem saber onde estar pisando. Olhos vendados, sentidos aguçados. Sinta. Mudança é um desafio que assume. Um desafio que se corre atrás. Um desafio que depende de você. Um dos maiores desafios dentro do desafio da mudança é decidir o que deixar pra trás. É preciso não ocupar todo o espaço com o já existente, deixar brechas para o novo, a serem preenchidas pelo acaso. Entretanto, como deixar para trás aquilo que é tão forte, tão resistente? Exercício de desapego. Não ocupar lugar novo com coisa velha. Se não, é faz de conta, mudança aparente. Fazer as malas com coragem e discernimento. Muito trabalho. Abandonar o antigo, preparar o novo. Vencer o medo. Vencer a insegurança. Vencer a razão. Vencer o coração. Vencer o sentimento. Vencer você. Ou perder para ser feliz. Mudanças acontecem!

Anúncios

Compartilhe seu pensamento comigo.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s