Crescer dói.

Padrão

E crescer muito rápido dói mais ainda. Isso é uma das coisas mais clichês que já ouvi, entretanto é a mais pura verdade. Vou contar uma história rapidinha pra exemplificar isso: há alguns anos tive um aluno que era bem mais alto que os colegas da mesma idade e um dia ele começou a acordar chorando muito a noite reclamando de dores nas pernas. Como os episódios se tornaram repetitivos a mãe resolveu levá-lo ao pediatra pra descobrir o porquê desses choros no meio da noite. Suspeitou-se de terror noturno, mas isso foi descartado rapidamente. Após algumas investigações descobriram que esta criança chorava simplesmente por que estava crescendo em demasia e, como uma parte considerável da liberação do hormônio do crescimento se dá a noite, ele sofria todas as dores desse crescimento rápido.

Quando decidimos mudar algum aspecto em nossa vida é por que essa área não está legal. Ninguém mexe em time que está ganhando. Entretanto nossa sede de mudança é tão intensa, que acabamos exagerando. Por exemplo: Quando queremos perder peso fazemos as dietas mais drásticas daqueles tipos que prometem perder 4 quilos em uma semana. Daí, para atingir o objetivo dessa perda rápida, comemos somente saladas, deixamos de jantar, e isso não dura uma semana por que é impossível fazer algo tão restritivo e ficar impune. Por outro lado, para emagrecer com saúde, é necessário uma reeducação alimentar que não acontece do dia pra noite. A perda de peso é progressiva e eficiente bem como o aprendizado alimentar: comer de 3 em 3 horas, preferir alimentos saudáveis e funcionais, diminuir o consumo das calorias gostosas e vazias e por ai vai. Estão vendo como as coisas na nossa vida não podem ser a ferro e fogo?

O que eu quero dizer com esta escrita toda? Que estou dando “baby steps” com essa decisão de mudar e crescer com o intuito primário de não sofrer em demasia. Quero minha vida organizada em todos os aspectos, mas como a desorganização não surgiu do dia pra noite, minha mudança interior também não pode ser assim. Como ajuda nessa decisao, peguei um caderninho velho da época da faculdade (pra não ter que gastar! Tô de parabéns! =D) e anotei as metas a curto, médio e longo prazo em cada aspecto da minha vida: financeira, emocional, afetiva e profissional. A partir daí, respeitando meu tempo, vou colocando cada uma delas em prática. Dessa forma a mudança será efetiva, menos dolorosa e duradoura. Às vezes eu dou uma olhada mais apurada nessa listinha e me surpreendo com essas metas. Coisas que para a maioria das pessoas é simples e fácil pra mim é tao complicado… Por isso deve haver o auto respeito. Cada individuo é único e tem seu próprio tempo. 

Cansei de desejos vazios que me desviam do caminho. 

=D